Bannière

[ Inscrivez-vous ]

Newsletter, Alertes

Eurodeputada nega ter projeto para "dizer mal" de Cabo Verde

Imprimer PDF

Praia, Cabo Verde, 10  Janeiro (Infosplusgabon) - A eurodeputada portuguesa Ana Gomes negou ter um projeto para "dizer mal" de Cabo Verde, tal como sugerido pelas recentes acusações feitas pelo Movimento para a Democracia (MpD), partido no poder no arquipélago.

 

O MpD considerou "graves" e "atentatórias do bom nome" dos seus dirigentes e da imagem de Cabo Verde as declarações de Ana Gomes sobre o alegado favorecimento ao ex-representante da União Europeia (UE) no país, José Manuel Pinto Teixeira, na compra de um terreno de 960 m2 numa disputada zona da capital  cabo-verdiana, Praia.

 

Na sua reação terça-feira às acusações do MpD, Ana Gomes esclareceu que pediu uma investigação "porque há factos preocupantes" nesse processo.

 

Ela salientou que "o próprio Estado Português tentou comprar o terreno em causa e não conseguiu e de repente esse cidadão comprou e começou a construir uma casa, mesmo em cima da Embaixada de Portugal".

 

"Até hoje não foi divulgado o contrato de compra e venda" do terreno, referiu também.

 

Através de uma comunicação ao Gabinete Antifraude Europeu (OLAF, na sigla em inglês) e à chefe da diplomacia e vice-presidente da Comissão Europeia, Federica Mogherini, a eurodeputada socialista portuguesa denuncia suspeitas de benefício pessoal e favorecimento a José Teixeira na alegada compra de um terreno, na capital cabo-verdiana.

 

Também o Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), principal força política da oposição no arquipélago, voltou  a questionar, na mesma terça-feira, a "lisura e transparência" dessa venda.

 

O vice-presidente do PAICV, Rui Semedo, considerou "infelizes" as declarações do partido do Governo sobre a eurodeputada Ana Gomes, segundo as quais esta “transformou-se numa caixa-de-ressonância pública de rumores, acusações e desvaneios”.

 

Para Rui Semedo, "não está em causa se o embaixador podia ou não adquirir um lote de terreno para construção em Cabo Verde. Está em causa, sim, a lisura e a transparência em torno deste processo".

 

"Esta tirada da maioria, de que se está a agir com base em rumores, para além de infeliz é  irresponsável e vergonhosa”, assinala o PAICV, acrescentando que “a maioria e o Governo insistem no erro, mesmo após o sinal dado pela UE".

 

Semedo Lembrou que a União Europeia é uma organização que funciona na base de transparência e espera dos países com que coopera regras claras de rigor, ética e boa governação".

 

Questionou se é rumor o facto de o senhor embaixador ter sido contemplado "com um ou mais lotes de terreno em espaços muito nobres" e se é também rumor que os lotes na Prainha "são muito disputados, havendo muitos outros interessados, particularmente no local onde foi atribuído o Lote ao senhor embaixador"

 

"É rumor que a preferência dada ao embaixador não foi precedida de concurso? É rumor que o lote já tinha sido atribuído a um outro cidadão (cabo-verdiano) e que a construção só não avançou porque a Embaixada de Portugal manifestou algum desconforto?", interrogou-se.

 

O vice-presidente do PAICV questionou igualmente se é rumor que a própria Embaixada "confirmou o interesse" naquele lote contíguo à residência do embaixador de Portugal, ou ainda se é rumor que o embaixador "recebeu aquela prebenda ainda no exercício das suas altas funções como representante da União Europeia em Cabo Verde".

 

"Trata-se de rumor a afirmação pública, da própria Câmara Municipal da Praia, de que o ato - primeiro, uma doação, depois misteriosamente compra - se tratava de uma compensação pelos relevantes serviços prestados pelo embaixador à cidade?

 

"É rumor o facto de o embaixador não disfarçar a sua preferência partidária, como ilustram as declarações, as atitudes, as práticas e até as fotos cúmplices postadas nas redes sociais, por destacados dirigentes do MpD?”, continuou a interrogar-se.

 

Na sequência destas declarações do maior partido da oposição,  o MpD acusou o PAICV de estar a manchar a imagem do Governo e de Cabo Verde, já que elegeu "a fragilização do Estado de Direito como sua bandeira".

 

Em conferência de imprensa, o secretário-geral do MpD, Miguel Monteiro, disse que “a atual liderança do PAICV tem insistido numa forma de fazer oposição que nenhuma mais-valia traz ao debate político, à fiscalização da atividade governativa e à sua afirmação enquanto alternativa".

 

Pelo contrário, prosseguiu, "estriba-se numa ideia obsessiva de denegrir a imagem do Governo, mesmo que tal investida atinja de forma irresponsável a imagem do país”.

 

Segundo Miguel Monteiro, o PAICV deixa “cair a máscara” no caso da aquisição do terreno por parte do ex-embaixador da União Europeia em Cabo Verde à Câmara Municipal da Praia, quando assume-se como o responsável pela “maquinação política” criada à volta do negócio e “não esconde a sua raiva contra o Português”.

 

Em vez de colocar questões que ao mesmo tempo são “afirmações irresponsáveis”, Miguel Monteiro considerou que o PAICV deveria, tendo tanta certeza naquilo que diz, apresentar aos Cabo-verdianos provas das suas acusações.

 

 

 

 

FIN/INFOSPLUSGABON/AZS/ GABON 2018

 

 

© Copyright Infosplusgabon

Qui est en ligne!

Nous avons 1681 invités en ligne

Publicité

Liaisons Représentées:

Newsflash

Appel aux lecteurs et  amis d’Infosplusgabon

Diffusées  gratuitement  et  bénévolement  et  sans  publicité depuis  2005,  les informations  africaines de  votre agence de  presse en  ligne vous parviennent  en  quatre  langues depuis  six  mois. Aujourd’hui, pour  poursuivre notre  passion et  développer l’action  d’information d’Infosplusgabon,  nous avons  besoin de  vous.  Pour  nous aider, vous  pouvez effectuer un virement sur le compte :

NKOLO/INFOSPLUSGABON .  Banque  Internationale  pour  le Commerce  et l'Industrie du Gabon (BICIG).   Adresse Banque : Avenue du Colonel PARANT. PO Box 2241  Libreville - GABON.  CODE  IBAN : GA21 4000 1090 7340 2044 0005 477 - Code Swift : BICIGALXXXX -  Numero de  Compte 40204400054  Banque  Code Banque : 40001-  Code Agence : 09073. Clé  77.

Merci  d’avance !  Et  merci aux  futurs contributeurs qui  répondront à  cet appel.

La  rédaction