Bannière

[ Inscrivez-vous ]

Newsletter, Alertes

UE reenvia 20 observadores para 2ª volta de presidenciais na Libéria

Imprimer PDF

Monróvia, Libéria, 14  Dezembro (Infosplusgabon) - A Missão de Observação das Eleições da União Europeia (UE)  reenviou, quarta-feira, 20 observadores a longo prazo para a segunda volta das eleições presidenciais previstas para 26 de dezembro corrente na Libéria.

 

Segundo um comunicado da UE publicado em Monróvia, a missão de observação será desdobrada em todas as províncias da Libéria.

 

A UE foi convidada pelo Governo da Libéria a observar estas eleições, depois de um protocolo de acordo assinado em agosto último com o Ministério liberiano dos Negócios Estrangeiros.

 

A missão de observação da UE é independente de qualquer instituição da organização europeia, de qualquer Estado-membro ou de qualquer instituição governamental.

 

Como tal,  ela se compromete a preservar a sua neutralidade e conformar-se com a Declaração dos Princípios para uma observação internacional de eleições, o Código de Conduta e igualmente as leis em vigor na Libéria, indica a nota.

 

A Comissão Nacional Eleitoral da Libéria (NEC) marcou para 26 de dezembro corrente a data da segunda volta das presidenciais e declarou aberta a campanha eleitoral para os partidos em competição e outros interessados.

 

A segunda volta vai opor a antiga glória do futebol liberiano, George Weah, que obteve

38,4 porcento dos sufrágios expressos contra 28 porcento obtidos pelo seu rival, o Vice-Presidente cessante Joseph Boakai, na primeira volta do escrutínio organizada a 10 de outubro último.

 

Dos dois milhões 100 mil eleitores inscritos, quase um milhão 600 mil votaram na primeira volta.

 

 

FIN/INFOSPLUSGABON/VIO/ GABON 2017

 

 

 

© Copyright Infosplusgabon

Qui est en ligne!

Nous avons 3842 invités en ligne

Publicité

Liaisons Représentées:

Newsflash

Kigali, Rwanda, 19 juillet (Infosplusgabon) - Le Rwanda a confirmé samedi 54 nouvelles infections pour la COVID-19, ce qui porte à 1.539 le nombre total de cas dans le pays depuis la mi-mars, a indiqué le ministère de la Santé dans sa dernière mise à jour  à Kigali.

DEPÊCHES