Bannière

[ Inscrivez-vous ]

Newsletter, Alertes

Cáritas triplica apoios em Cabo Verde devido ao mau ano agrícola

Imprimer PDF

Praia, Cabo Verde, 12  Outubro (Infosplusgabon) - A Cáritas de Cabo Verde vai ter que triplicar o número de famílias a apoiar através do seu programa de segurança alimentar por causa do mau ano agrícola que se perspetiva no arquipélago, anunciou secretária-geral da instituição em Cabo Verde, Marina Almeida.

 

 

Anunciando quarta-feira na cidade da Praia, este programa, Marina Almeida disse que a Cáritas de Cabo Verde, ligada à Igreja Católica, trabalha sobretudo com famílias pobres das zonas rurais.

 

Cáritas de Cabo Verde apoia, através do seu programa de segurança alimentar, quase 500 famílias vulneráveis das ilhas de Santiago e Santo Antãoe que têm acesso a apenas uma refeição por dia.

 

Marina Almeida assinalou que o trabalho da Cáritas em Cabo Verde passa sobretudo por apoiar as comunidades rurais no acesso à alimentação, água, educação e prestações sociais, uma vez que ainda muita gente no país ainda não bebeficia de um salário mínimo, sendo também as prestações sociais muito baixas.

 

"Estamos a tratar mais a pobreza rural, porque a pobreza urbana é muito mais complexa e ainda não temos uma estrutura bem preparada para as intervenções a nível urbano", onde predominam questões como o alcoolismo, as drogas e as questões habitacionais, precisou.

 

Apesar de ser intenção da Cáritas triplicar prroximamente o seu apoio às famílias carenciasa,  Marina Almeida reconheceu que, mesmo assim, a organização está longe de conseguir apoiar "todas as famílias que estão em situação difícil".

 

A responsável adiantou que a instituição está a procurar organizar-se para conseguir responder às solicitações recordando que, em Cabo Verde, os bens das pessoas do meio rural são os seus animais e que estes estão em risco devido à falta de paste e escassez da água.

 

Marina Almeida adiantando que a Cáritas cabo-verdiana espera poder contar com o apoio dos parceiros internacionais, como a sua congénere de Luxemburgo, que, para o efeito, irá enviar uma missa, dentro de dias,

Ao arquipélago.

 

O mau ano agrícola causado pela seca levou já o Governo a aprovar um plano de emergência para apoio a mais de 17 mil famílias do meio rural no valor estimado de 7 milhões de euros e que será executado com o apoio do Fundo das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO).

 

Entretanto, relatos surgidos na imprensa local dão conta que os efeitos da seca e do mau ano agrícola em Cabo Verde já se fazem sentir no maior mercado da Praia, onde faltam alguns produtos habituais desta época e os disponíveis estão mais caros.

 

Os vendedores que se queixam dos preços, salientam que, enquanto as verduras e legumes já estão mais caros, as carnes, as carnes poderão vir a ficar mais baratas porque, a seu ver, não choveu o suficiente para se ter pasto em abundância para o gado.

 

É por causa disso que os criadores vão ter de vender os animais a um preço mais baixo, lamentam.

 

 

 

FIN/INFOSPLUSGABON/IIO/GABON 2017

 

 

© Copyright Infosplusgabon

Qui est en ligne!

Nous avons 2055 invités en ligne

Publicité

Liaisons Représentées:

Newsflash

LIBREVILLE, 22 septembre (Infosplusgabon) -  Le scrutin de dimanche ne devrait pas bouleverser les équilibres politiques au Sénat. Le renouvellement est en revanche assuré, avec 43 % des sortants qui ne se représentent pas. Le résultat de ces élections influera sur la réforme des institutions voulue par Emmanuel Macron, qui nécessitera une large majorité au Congrès (députés et sénateurs).

 

FIN/INFOSPLUSGABON/TOP/LER/GABON 2017

 

© Copyright Infosplusgabon