Bannière

[ Inscrivez-vous ]

Newsletter, Alertes

Tunísia anuncia sete novos casos de covid-19

Imprimer PDF

Túnis, Tunísia, 20 julho (Infosplusgabon) - A Tunísia registou sete novos casos de coronavírus (covid-19), depois de análises de 422 amostras, das quais 24 no quadro da observação de ex-pacientes, elevando para 84 mil 245 o número total de exames efetuados, desde o início da pandemia, anunciou segunda-feira o Ministério tunisino da Saúde.

 

Com estas novas infeções, o número total de casos sobe para mil 381, dois quais 99 curas, 50 mortes e 232 pacientes ainda em tratamento.

 

O número de casos importados desde a abertura das fronteiras, de 27 de junho a 18 de julho, estimou-se em 198 casos confirmados contra sete locais, refere o  Ministério da Saúde no seu boletim sobre a situação epidemiológica.

 

A responsável do Comité Científico de Combate ao Coronavírus, Jelila Khalil afirmou que este aumento de casos importados prova a propagação contínua do vírus mortal em várias regiões do Mundo, insistindo na necessidade de os Tunisinos demonstrar prudência e respeito pelas medidas de proteção sanitária.

 

Anunciou que o Comité Científico vai reunir-se esta terça-feira para avaliar a situação epidemiológica no contexto do aumento de casos importados, a fim de adotar novas medidas, destacando a possibilidade de recuar em certas decisões para melhor controlar a propagação do vírus.

 

Por seu turno, a diretora do Observatório de Doenças Novas e Emergentes, Incef Ben Alia, insistiu também na necessidade de os Tunisinos continuarem a manter vigilância e respeitar as medidas do protocolo sanitário para limitar a propagação do vírus, afirmando que "a ameaça continua sempre presente".

 

FIN/ INFOSPLUSGABON/ILL/GABON2020

 

© Copyright  Infosplusgabon

Qui est en ligne!

Nous avons 4275 invités en ligne

Publicité

Liaisons Représentées:

Newsflash

Kigali, Rwanda, 19 juillet (Infosplusgabon) - Le Rwanda a confirmé samedi 54 nouvelles infections pour la COVID-19, ce qui porte à 1.539 le nombre total de cas dans le pays depuis la mi-mars, a indiqué le ministère de la Santé dans sa dernière mise à jour  à Kigali.

DEPÊCHES