Bannière

[ Inscrivez-vous ]

Newsletter, Alertes

Oposição queniana anula manifestações no leste do país devido à violência

Imprimer PDF

Nairobi, Quénia, 18 Outubro (Infosplusgabon) -  O chefe da principal formação política da oposição queniana, Raila Odinga, e o seu diretor de campanha, Musalia Muadavadi, anularam esta terça-feira a sua deslocação a Meru, no leste do país, depois da ocorrência de violentas manifestações, indica um comunicado da NASA, uma coligação da oposição.

 

Odinga, declarou que a direção da NASA devia visitar Laare, na província de Meru, mas anulou finalmente a viagem depois que violentos protestos eclodiram no local previsto da reunião.

 

"Tivemos de anular a visita devido à insuficiência de segurança no local e o surto da violência que abalou a área em prelúdio à nossa visita", declararam num comunicado comum, Raila Odinga e Mudavadi.

 

Segundo a oposição queniana, a violência e a deterioração da segurança no país não são espontâneas.

 

"Foram todas patrocinadas pelo partido no poder, o Partido do Jubileu. Com efeito, a Polícia apoiou os jovens do partido que infiltraram a manifestação, lançando lacrimogéneos contra militantes da NASA", indicou Odinga.

 

Os dirigentes da oposição queniana lançaram uma campanha para exortar os seus militantes a boicotar e a rejeitar as próximas eleições presidenciais de 26 de outubro.

 

"Realizamos campanhas durante décadas em Meru. Conhecemos bem as populações que lá vivem e o nível de simpatia que nos dedicam", rematou Odinga.

 

Durante as últimas eleições que foram anuladas pelo Tribunal Supremo, a 1 de setembro passado, a oposição denunciou que os seus sufrágios na localidade do Meru estavam viciados.

 

O partido no poder acusa, por seu turno, a oposição queniana de querer boicotar e manchar as eleições presidenciais por medo de ser batida.

 

Segundo a oposição, o partido no poder, assustado por não poder organizar eleições transparentes, livres e equitativas, está determinado a dificultar o acesso da oposição a algumas partes do país onde os membros da oposição são declarados "persona non grata".

 

Os Quenianos devem compreender que a situação política do país está a deteriorar-se, sublinhou Odinga, acrescentando que as conquistas democráticas "estão a ser ignoradas e substituídas por uma ditadura".

 

Por isso, lançou um apelo a todos os Quenianos "para que resistam à tendência para o recuo e para que se recusem a ser treinados em confrontos étnicos mal concebidos para manter a ditadura do partido no poder".

 

 

FIN/INFOSPLUSGABON/TYU/GABON 2017

 

 

© Copyright Infosplusgabon

Qui est en ligne!

Nous avons 1678 invités en ligne

Publicité

Liaisons Représentées:

Newsflash

Retrouvez  tous les  jours vos  informations en  français  en Anglais et en Portugais   sur  www.Infosplusgabon.com